VOCÊ ESTÁ NO BLOG DA TROPA DE PACIFICADORES DA PMDF! SEJA BEM VINDO!

 

Caros cidadãos e cidadãs,

Uma parte significativa da população brasileira tem sofrido muito com a violência, que se origina por diversos motivos: profunda desigualdade01, 02, 03 e 04 - Equipe de ROTAM social, desarmonia econômica entre classes, políticas governamentais equivocadas, dentre diversos outros fatores. A Capital do País infelizmente foi afetada por essa mazela da modernidade. A Polícia Militar do Distrito Federal precisou se adequar no cumprimento de suas funções de proteção do brasiliense e, em maio de 2005, foi fundada a ROTAM.

Novos crimes – juntamente com agressores sociais cada vez mais cruéis – se acomodaram em nosso território, todos atraídos pela idéia de maior poder aquisitivo presente em Brasília. Sequestros, roubos e agressões tentaram desestabilizar o DF. Nesse contexto, esse recém criado grupo de policiais precisou se adaptar e repensar a tarefa cumprida como PACIFICADORES SOCIAIS, tudo para fazer frente à nova realidade de grandes centros urbanos brasileiros. A ROTAM precisou se transformar em uma caçadora pontual das ações deliberadas de violência e de atos criminosos de grande envergadura.

Nosso objetivo é APLICAR A LEI para retirar das ruas quem pratica crimes de alto potencial ofensivo, promovendo e reestabelecendo efetiva e rapidamente a paz social, necessária ao convívio pacífico entre os cidadãos da Capital Federal.

Nosso trabalho se dá em ocorrências policiais de alto risco. Nosso treinamento é constante e nossa capacitação diferenciada. Tudo para estarmos sempre preparados para os niveis diferentes de abordagens que somos compelidos a praticar.

À ROTAM são destinadas as ocorrências de resolução complexa, em área urbana ou rural, onde damos apoio irrestrito ao cidadão e aos nossos companheiros, tudo visando a melhor forma de aplicação da lei.

Somos os melhores no que fazemos. Estaremos sempre a postos. Estaremos sempre presentes.

Tenente Coronel Leonardo Sant’Anna – Comandante da ROTAM

.

.

.

.

RESPOSTAS SOBRE VÍDEO ATRIBUÍDO A ROTAM E MENCIOADO EM REPORTAGEM DO JORNAL CORREIO BRAZILIENSE DE 12 DE JULHO DE 2012 SOB O TÍTULO: Supostos PMs usam a web para fazer apologia à violência e exaltar excessos

Sobre o vídeo atribuído a supostos policiais da ROTAM e às imagens ali reunidas, temos a informar que:

  1. Ao contrário do que consta em link que diz que VÍDEO PRODUZIDO PELA PM CIRCULA NA INTERNET, o batalhão de ROTAM não produziu qualquer vídeo de apoio a violência;
  2. O Batalhão de ROTAM não aceita ou fomenta qualquer apologia à violência;
  3. Os policiais da ROTAM são incentivados a atuar sob a égide dos Direitos Humanos no processo de preservação da vida e aplicação da lei, ato que pode ser comprovado diante do que informamos em nossos constantes treinamentos e da pouquíssima quantidade de membros denunciados por supostas ações de uso indevido da força junto ao Ministério Público, apesar do expressivo quantitativo de ocorrências graves nas quais atuamos;
  4. Quando o jornal em lide cita que “Nos segundos finais do vídeo, há mais um alerta. São exibidas fotos de nove homens, com olhos cobertos por uma tarja preta, que teriam sido presos pela tropa de elite. Eles seriam os exemplos daqueles que “tentaram a sorte e se deram mal.””, informamos que o Batalhão de ROTAM cumpre a lei por intermédio da promoção de atitudes que levem agressores sociais a cessarem suas ações delituosas dentro do nível de força que casos distintos determinem executar, sem violência ou excessos. Isso é o que, em nosso entendimento, demonstram as imagens de agressores presos, mas sem qualquer ato consequente de violência ou descumprimento da legislação que obedecemos;
  5. Quando o jornal se refere a “carros destruídos ou baleados” e sobre “um homem ensanguentado e aparentemente morto após levar um tiro na cabeça”, o caso em lide trata de ocorrência em que a equipe de uma policial feminina da ROTAM precisou fazer uso da força letal, em janeiro de 2012. Naquela oportunidade uma quadrilha, composta por dois maiores e um menor, assaltou um cidadão do DF no Setor de Clubes Sul, apontando duas pistolas para a sua cabeça . Além de seu carro, um Celta, foram subtraídos outros bens e, continuando sua fuga e agressões, atingiram com diversos disparos um veículo Vectra, isso já nas proximidades do Núcleo Bandeirante. O desfecho dessas ações ocorreu quando o grupo chegou próximo a Santa Maria e não conseguiu se desvencilhar de uma viatura da ROTAM que foi informada da agressão anteriormente praticada. A partir daí dois membros do grupo atiraram contra a viatura policial, momento em que houve necessidade de revidar os disparos. A ação foi entendida como legítima, legal, é pública e foi julgada na Primeira Vara Criminal e Tribunal do Juri de Santa Maria, com confissão dos acusados e, pelo entendimento daquele Tribunal, em harmonia com as declarações da vítima.
  6. Imagens divulgadas no site de vídeos youtube são de cunho pessoal e podem ser postados por qualquer pessoa, porém, o vídeo publicado com imagens deste batalhão, aparentemente, indica vontade de demonstrar o nível de periculosidade a que estão expostos os policiais da ROTAM durante suas atividades rotineiras, bem como ações policiais diversas e treinamentos internos. A PMDF já adotou medidas visando esclarecer os fatos mais detalhadamente;
  7. Acerca do mesmo vídeo, APESAR DE TERMOS SIDO QUESTIONADOS POR DIVERSAS PESSOAS E ENTIDADES, não sabemos o motivo pelo qual não houve atenção da reportagem do jornal Correio Braziliense sobre o treinamento dos policiais, as prisões e apreensões em favor da comunidade do DF e, ESTRANHAMENTE, nem sobre o fato de não ter havido pesquisa ou pergunta dirigida ao batalhão sobre o que levou um agressor social a ser baleado. Tampouco temos como esclarecer as razões pelas quais não foram divulgados os dados positivos em favor da segurança do cidadão, tais como:

– 58 armas apreendidas apenas no primeiro semestre;

– Quase 1.000.000 (um milhão) de reais em veículos devolvidos aos brasilienses; e

– Ocorrência do início de julho em que evitamos que mais de 1.300.000 (um milhão e trezentos mil) reais em drogas assolasse nossa comunidade.

Este batalhão, que atua especialmente em ocorrências de alto risco, continuará prestando seu serviço de forma exemplar à comunidade do Distrito Federal, aceitando informações e colaborações que possam otimizar nossa atividade de preservar vidas e aplicar a lei, buscando sempre servir e proteger a quem venha ou esteja na Capital do Brasil.

.

Ten Cel Leonardo Sant’Anna – Comandante do Batalhão de ROTAM

Anúncios